junho 08, 2012

[Carreira] As 10 principais mudanças no mercado de trabalho para os próximos 20 anos

O sensacional Max Gehringer mostrou, em sua coluna diária na rádio CBN, o que ele considera serem "As dez mudanças significativas do mercado de trabalho nos próximos 20 anos". É uma pena que a CBN não disponibiliza mais em seu site o link para colocarmos o áudio no blog, mas de qualquer forma, o comentário é divertido e tem um fundo de verdade, e vale a pena ser ouvido.

Como várias destas previsões também podem ser adaptadas para o mercado de TI e de segurança da informação, segue abaixo uma transcrição destas 10 previsões e em que ponto algumas delas se aplicam especificamente ao mercado de TI e SI, na minha opinião.

  • 1a Mudança: Devido a velocidade em que as pessoas pulam de um emprego para outro, o prazo médio de permanência em um emprego será de 36 horas.
  • 2a Mudança: A escolaridade mínima para qualquer cargo, mesmo júnior, será de 3 doutorados. Devido ao excesso de candidatos, bastará escolher quem souber soletrar "empresa". (Já na área de TI, não haverá exigência de escolaridade, pois diploma é coisa de quem não é auto-didata. Basta ao candidato dizer que já desenvolvia programinhas para iPhone desde os 5 anos de idade - e, obviamente, contar isto como experiência profissional. Logo, teremos "profissionais" com 15 anos de mercado e 20 anos de idade) (além do mais, quem prestar atenção nas mensagens enviadas em listas de discussão ou colocadas como comentários em fóruns e sites - inclusive alguns dos comentários feitos no site da CBN, verá que a quantidade de erros gramaticais é absurda, logo saber escrever corretamente e soletrar será uma arte dominada por poucos)
  • 3a Mudança: Em nome do politicamente correto, os chefes terão o título de "consultores emocionais para subordinados geniais"
  • 4a Mudança: O Max comeu bola e esqueceu da 4a previsão!!!
  • 5a Mudança: Olhar para um subordinado por mais de 5 segundos será considerado Assédio Moral
  • 6a Mudança: Os organogramas serão extintos, para que os ocupantes de cargos mais baixos não se sintam discriminados
  • 7a Mudança: Um entrevistador não poderá fazer nenhum tipo de pergunta a um candidato a emprego que possa representar invasão da privacidade, como sexo, idade, estado civil, endereço, número dos documentos e qualquer menção aos empregos anteriores (tirando o exagero de não citar os empregos anteriores, isto já acontece em vários países, e em particular nos EUA: lá ninguém coloca a idade, o sexo nem o estado civil no CV)
  • 8a Mudança: Todo empregado terá assegurado o direito de discordar (do chefe) na hora que quiser, sem risco de retaliação (Nota: isso também poderá ser feito via redes sociais e Twitter)
  • 9a Mudança: As empresas viverão em um ambiente de cordialidade, fraternidade, liberdade e igualdade - e admiração mútua entre os felizes empregados
  • 10a Mudança: Os brasileiros já terão parado de acreditar nesses tipos de previsão (hum, essa eu acredito que vai ser uma furada - mesmo daqui a 20 ou 50 anos, essas previsões continuarão a existir)

3 comentários:

antonio maia disse...

Não sei se entendi direito "a CBN não disponibiliza mais em seu site o link para colocarmos o áudio no blog", mas lá vai o link do mp3:

http://download.sgr.globo.com/sgr-mp3/cbn/2012/colunas/max_120605.mp3

antonio maia disse...

Não sei se entendi direito a frase "a CBN não disponibiliza mais em seu site o link para colocarmos o áudio no blog", mas lá vai o link do mp3:

http://download.sgr.globo.com/sgr-mp3/cbn/2012/colunas/max_120605.mp3

Anchises disse...

Oi Antonio, Antigamente a CBN tinha um gadgetzinho que bastávamos copiar e colar um código HTML para termos o botão de áudio deles incluso em nossas páginas. Depois que eles reformularam o site, há poucos meses atrás, eles tiraram isso. Até dá para hackear isso, mas eu parto do princiípio de que, como eles não fazem mais questão que divulguemos o conteúdo deles, eu não vou ficar me esforçando para isso.

Creative Commons License
Disclaimer: The views expressed on this blog are my own and do not necessarily reflect the views of my employee.